etiqueta #lugar

#favoritoscomtijolo : La Mar

explorar sem parar

Regular 2015 02 14 20.04.04

La Mar Cebicheria

O ano passado estávamos numa fase mais caseira, de adaptação e economias. Este ano estamos mais confortáveis em sair e explorar melhor a cidade. Quando criamos a categoria “Pulando a Cerca”, logo no início do blog, era justamente para compartilhar lugares, viagens e novas experiências. Temos alguns lugares na nossa lista que visitamos sempre, pois já conhecemos os benefícios, outros estão numa lista de “a conhecer” já há algum tempo, e então, aos poucos, vamos desvendá-los. Bem vindos ao primeiro post da série #favoritoscomtijolo.

A visita de ontem foi uma boa surpresa. Surpresa no sentido que não estava na nossa lista e foi um feliz achado do meu pai. Ele leu algumas resenhas e achou que poderia ser interessante. Para o outro casal, quando comentou, eles já haviam ouvido falar e nós, por ser uma cevicheria topamos na hora. Chama-se La Mar Cebicheria e fica na Rua Tabapuã em São Paulo.

O menu oferece uma variedade de Ceviches (peixe crú marinado com diversidade de temperos), Causushis e Planchas (frutos do mar variados grelhados e temperados). Começamos com o couvert de lâminas fritas (mas bem sequinhas) de batata doce, mandioca e banana acompanhados de molhos peruanos - do suave ao apimentado. Na hora dos pratos tivemos dificuldade de escolher com a vontade de provar mais de um, por isso, o Julio, garçom peruano que nos atendeu, ofereceu a opção de trazer um pouco de tudo. Uma espécie de menu degustação mais compacto. Da lista dos ceviches trouxe o Clássico, o Nikei, Mistura e Chifa. Destes os favoritos foram o Mistura (com abacate) e Nikei (com tamarindo). Provamos também os Tiraditos, uma espécie de ceviche também, mas o peixe ao invés de cubos é cortado em finas lâminas. Provamos os três do cardápio, Bachiche, Laqueado e Nikei. Novamente um dos favoritos foi o Nikei, que leva um molho adocicado de tamarindo. Por fim, dentro desta variedade provamos os Causushis, também um prato popular no Peru. Uma combinação fria de purê de batatas com limão e temperos, recheadas com abacate e cobertas com os mais diversos sabores. Como vem apenas duas unidades na porção, ficou difícil dividir entre todos, mas provei o de Polvo e gostei muito. A mistura de purê com limãoo fica deliciosa. Para completar o peixe cru pedimos duas Planchas para dividir, que eles chamam de Los Generosos. Optamos por duas que tinham frutos do mar variados. Para arrematar e realmente conhecer o menu por completo, escolhemos uma sobremesa para dividir também. chamada de Crema Volteada, uma espécie de pudim de chocolate com capim santo e um crocante de quinoa.

Embora alguns pratos agradaram mais o nosso paladar, no geral, todos os pratos estavam deliciosos e bem apresentados. Neste caso, como estávamos em um grupo maior e ficamos com medo de não conseguir um lugar, fizemos uma reserva. Mas, ao sair notamos que o espaço estava cheio, mesmo em um final de semana de carnaval, então talvez o ideal seja fazer uma reserva novamente, mesmo que para dois.

Cevicherias sempre nos atraem pelo fato de terem comida leve, fresca e na maioria das vezes, sem glúten e lactose. Este entrou para a lista de Favoritos.

  • o ambiente é um pouco escuro, o que impossibilitou fotos de boa qualidade.
Regular 2015 02 14 20.51.28

Cebiches, Causushis e Tiraditos

Regular 2015 02 14 22.00.33

Crema Volteada para arrematar

garimpo pelo Lar

estar concreto, pensar acordado

Regular 2013 12 11 22.35.45

nossos achados no Lar.

Esta semana, além de mais algumas visitas e muito trabalho, decidimos tirar uma tarde para ir conhecer um lugar novo. Novo para nós, pois ele já existe há algum tempo. Ultimamente, desde que decidimos procurar por um lar, e o Marcos a mostrar seu amor por caçambas, amigos próximos e não tão próximos nos contaram sobre suas visitas ao Bazar Samburá, mais conhecido como Lar Escola São Francisco, ou somente Lar São Francisco. Um lugar onde pessoas doam móveis, objetos, livros, discos, roupas, utensílios e muito mais. O Lar organiza o grande espaço em espécies de departamentos; a sala dos sofás, dos utensílios de cozinha, das cadeiras de roda, dos móveis com cupim e aqueles sem, e por ai vai. Tudo é etiquetado com preços e detalhes como “com cupim”, “não centrifuga”, “quebrada” e outros adjetivos de importância. A renda gerada no Bazar, através da comercialização destas mercadorias doadas, é revertida ao Centro de Reabilitação do Lar Escola São Francisco, possibilitando o atendimento de pessoas de todas as idades com deficiência física e mobilidade reduzida. Segundo dados do Lar, 17 mil pessoas, de baixa renda, são atendidas mensalmente com diagnóstico de deficiências de origem ortopédica, neurológica, reumatológica ou geriátrica, temporária ou permanente.

Números a parte… Buscamos nossa amiga Julia, constante visitante do Lar, para nos acompanhar e direcionar pelos caminhos cortados nas ruas de São Paulo até chegarmos lá. Lá, o Lar, fica na Vila Mariana. Ela, formada em Design Industrial, agora é uma cliente frequente, pois compra, a preços super acessíveis, matérias primas para as suas criações inusitadas em móveis e objetos como bandejas e discos de vinil. Passamos algumas horas pelos corredores e salinhas cheias. Imagine um espaço onde você pode encontrar de tudo, mas tudo mesmo. Para aqueles mais sensíveis como nós, junto com tudo você sente a história das coisas que ali estão, energias e pessoas. Para aqueles não tão sensíveis, como a Julia, mesmo depois de algumas horas lá dentro você se sente exausto. Por isso, vá com curiosidade, paciência e um dia que esteja se sentindo bem. Não, não queremos assustar ninguém, mas o lugar carrega uma história. Constamos ser super interessante com alguns objetos que adquirimos por lá. Fomos com o objetivo de encontrar um antigo arquivo metálico (aquele com gavetinhas infinitas), e saímos com um cavalete, uma caixa de madeira onde guardaremos o nosso papel higiênico, a base de um abajur flexível e uma coleção de vinis, com 13 discos, dos maiores compositores da música clássica. Este último item por apenas R$ 13. O cavalete que vou usar para as minhas novas criações em tela por apenas R$ 40, um item que normalmente (sim eu já fui ver em lojas) custaria em torno de R$200. A maioria das coisas que encontramos por lá, ou poderíamos encontrar, que alguma vez em suas vidas úteis foram de grande valor, precisam de uma lixada, envernizada, pintada ou restaurada geral, mas no fim é isso que gostamos de fazer não é? E por quê não ajudar pessoas que precisam ao fazer isto? Vale a visita para os criativos como a Julia, a Marcia e nós.

Regular dsc09791

Bazar Saburá ou Lar São Fransico na Vila Mariana.

ilustrações por kaju.ink
catalisado por person.agency