etiqueta #detox

cardápio verde, laranja e rosa

ser esponja

Regular sam 3172

sucos para levar nas garrafas que adquirimos durante as férias

O Marcos já compartilhou a nossa experiência sensorial do programa de sucos. A ideia do programa de três dias de detox que fizemos foi inspirado na experiência de um casal de amigos. Eles decidiram mudar os hábitos alimentares para ter uma melhoria no estilo de vida. Fizeram o mesmo detox que experimentamos durante três dias e depois disto balancearam a alimentação até hoje, dois meses depois, entre sucos e alimentos sólidos. O que nos chamou mais atenção na experiência deles foi a perceptível mudança no apetite. O paladar ficou mais aguçado e as escolhas mais seletivas. Ficamos curiosos. Eles por sua vez se inspiraram em um documentário que assistiram, conhecido como Fat, Sick and Nearly Dead. Um obeso que passa sessenta dias tomando sucos para se alimentar melhor, perder peso e recomeçar uma vida para o corpo. Pesquisamos um pouco mais a fundo, escolhemos três dias que se encaixariam bem em nossas rotinas, montamos o cardápio e fomos ao mercado. De preferência deve-se optar por frutas e vegetais orgânicos. No caminho para casa pegamos emprestada uma centrífuga da mãe do Marcos para seguir o programa ao pé da letra.

O “3 day quick start reboot” (um rápido recomeço de três dias) do Joe:

Os dias sempre começam com um copo (250ml) de água morna com limão e gengibre opcional.
Durante o dia é recomendada a ingestão de muita água para manter o corpo bem hidratado e não exagerar nas atividades físicas, pois ele precisa de energia para processar as novas informações. No site do programa existem opções para cada refeição e substituição de ingredientes. Vale a pena dar uma olhada na lista para entender as similaridades dos alimentos e aos poucos fazer suas próprias composições.

Montamos os nossos dias assim:

dia 01:

7h
carrot-apple-lemon
(serve duas porções de aproximadamente 500ml para cada)
4 maçãs
4 cenouras
2 limões

ao longo da manhã, um copo de água de coco.

12h-13h
garden variety
(duas porções)
4 maçãs
4 pepinos
16 folhas de couve (colocamos um pouco menos, pois as nossas folhas são maiores do que as americanas)
2 mãos cheias de salsa

15h-16h
australian gold
(uma porção)
½ abacaxi médio
1 pimentão amarelo
1 limão
2.5cm de gengibre fresco

19h-20h
green lemonade
(duas porções)
2 maçãs
4 mãos cheias de espinafre
16 folhas de couve
1 pepino
4 talos de salsão (aipo)
2 limões

22h30
just beet it
(uma porção)
2 beterrabas (pequenas)
2 peras
1 pepino
2.5cm de gengibre fresco

dia 02:

7h
peach or pear pie
(uma porção)
1 batata doce (crua)
2 pêssegos maduros (ou, se não for a época, duas peras podem substituir)
1 maçã
1 1/3 copos (aproximadamente 150g) de bullereis
uma pitada de canela

água de coco durante a manhã.

12h
green lemonade
(duas porções)
2 maçãs
4 mãos cheias de espinafre
16 folhas de couve
1 pepino
4 talos de salsão (aipo)
2 limões

15h-16h
mexi cali
(uma porção)
2/3 de um abacaxi médio
1 maçã verde
1 lima
½ jalapeño
1 mão pequena de coentro (substituimos por salsa)

19h-20h
joes mean green
(duas porções)
16 folhas de couve
2 pepinos
8 talos de salsão (aipo)
4 maçãs
1 limão
5cm de gengibre fresco

dia 03:

7h
un beet able
(duas porções)
2 beterrabas
6 cenouras
2 maçãs
15 folhas de couve
5cm de gengibre fresco

água de coco

12h-13h
joes mean green
(duas porções)
16 folhas de couve
2 pepinos
8 talos de salsão (aipo)
4 maçãs
1 limão

15h-16h
australian gold
(uma porção)
½ abacaxi médio
1 pimentão amarelo
1 limão
2.5cm de gengibre fresco

20h
sopa de abóbora com gengibre
e biscoitos de arroz sem glúten.

O quarto dia levamos uma alimentação ainda mais leve do que de costume, para que o corpo se acostumasse aos alimentos mais sólidos.

Regular sam 3155

café da manhã, almoço e lanche da tarde

Regular sam 3137

dia 01: água morna com limão e gengibre, e café da manhã

Regular sam 3151

no dia 02 guardamos o bagaço que utilizamos depois para fazer um pão

detox mental

ser esponja

Regular sam 3154

café da manhã, almoço e lanche da tarde

Hoje é o dia seguinte após três dias seguidos de desintoxicação ingerindo somente sucos verdes. Kalina e eu decidimos encarar o desafio por motivos semelhantes e completamos a jornada com opiniões complementares. Entender o processo e ponderar os objetivos é vital para transformar o jejum em uma experiência construtiva.

Nós temos uma rotina saudável. Todos que nos acompanham diariamente sabem do esforço que empregamos neste sentido. Acordar cedo, suco verde, exercício físico, contato com a natureza, café da manhã reforçado, home office - que para nós significa trabalho intenso, leve, criativo e produtivo - alimentação caseira, natural e balanceada, muita água e chá, pouco trânsito, mais tempo juntos e hobbies para desestressar. Em meio ao nosso cotidiando desvairado, não é fácil adotar tais hábitos. Mas se, de certa forma, não nos intoxicamos diariamente, então porque desintoxicar?

Antes de compartilhar nosso parecer, que fique bem claro: o termo detox, no universo da alimentação, é uma farsa. O termo foi surrupiado e, no contexto correto, significa o controle medicinal da dependência química de drogas. De qualquer forma, há uma onda de programas de detox chegando ao Brasil - importada dos EUA - que prometem livrar o seu corpo de todas as toxinas que você ingere com produtos industrializados e aquele almoço fast-food-rápido. Desintoxicar o corpo é um conceito errôneo, criado por marqueteiros competentes. Não há qualquer indício científico que aponte que qualquer programa de desintoxicação promova a descarga de toxinas incrustadas em nossas células. Na verdade, nossos órgãos são tão evoluídos que já fazem isso automaticamente.

Um simples advento que nos livra de todos nossos pecados alimentares - é ótimo pensar que existe nas prateleiras, mas infelizmente, não há.
- Dara Mohammadi

Há, contudo, um lado psicológico que são esquecidos nas pesquisas científicas.

Nossa sociedade moderna tem um relacionamento conturbado com a comida. Nossos antepassados passavam mais tempo caçando e correndo atrás de seus alimentos do que comendo. Nós passsamos muito mais tempo sentados e ingerimos muito mais calorias. A cultura imediatista das cidades afeta a todos nós de maneiras diferentes. Alguns estão obesos, alguns subnutridos, muitos tem distúrbios psicológicos alimentares. Se você acha que isso não lhe afeta, pare e pense quantas vezes não descontou sua ansiedade com a comida. Um chocolate, uma pizza ou aquele churrasquinho. Ah, não esqueçam que a bebida alcoólica também entra nessa conta. Reavaliar nosso relacionamento com nossos alimentos é um passo essencial para promover o autoconhecimento. E foi exatamente por isso que nos sentimentos atraídos a seguir um programa de desintoxicação.

Nós do comTijolo acreditamos na desintoxicação mental.

Três dias inteiros sem comer e sem mastigar é uma quebra de paradigma de uma vida inteira. Quantas vezes você, caro leitor, já o fez? A mudança de hábito repentina por si só já traz inúmeras descobertas. Se você programa seu cérebro para o desafio, não vai ficar com fome. O corpo se adapta. Os sucos verdes contêm tantos nutrientes que muitas vezes seus níveis de energia serão maiores que os normais. Nós dois percebemos uma melhoria em nosso foco durante o trabalho e também tivemos um sono mais profundo durante o processo. Você percebe que alguns sintomas de sua saúde - como a acidez gastrointestinal que venho combatendo há anos - podem ser, de fato, psicossomáticos e, você pode, com treino e devidas medidas, ter controle total do seu corpo.

Explorando um lado mais intangível, algo ainda mais interessante aconteceu comigo durante esses dias. A abstinência de comidas sólidas fez meu cérebro expelir pensamentos negativos mais antigos. Acredito que isso tenha acontecido devido a uma memória registrada em meu corpo em algum momento de ansiedade descontada com a ingestão desnecessária de algum alimento. A quebra do fluxo constante de ingestão e digestão, deu ao meu corpo, literalmente, uma folga para a autopurificação.

Não há pesquisa científica que comprove que programas detox como o que fizemos promova a desintoxicação de nosso corpo. Contudo, também não há pesquisa científica nenhuma que estude os benefícios intangíveis alcançados por tais experiências. O segredo, para nós, parece ser a intenção. Se você quiser experimentar um caminho semelhante ao que percorremos, para promover o autoconhecimento e controle do próprio corpo, ótimo. Se é para se desintoxicar do porre que tomou durante o carnaval, melhor deixar para o próximo carnaval.

Regular sam 3101

lavando frutas e vegetais para o detox

Regular sam 3151

bagaço dos sucos do dia

Regular img 5855

antes do almoço no trabalho

#sucoverdelimão

ser esponja

Regular cimg5534

equilíbrio: corpo e alma

“Desintoxicar significa deixar sair as toxinas, os venenos: purificar”. Assim começa o livro “Alimentação Desintoxicante” de Conceição Trucom. Diariamente somos bombardeados de substâncias e toxinas que não nos pertencem, e isso não somente através de alimentação e sim também pela água que bebemos, pelo ar, por substâncias que passamos na pele e no cabelo, e nas energias que trocamos e recebemos de pessoas e espaços. O nosso corpo é uma máquina que não para de trabalhar mesmo durante o sono, na tentativa de eliminar todas as tensões do mundo e pessoais para que tenhamos uma noite tranquila. Isso já sabemos não é? E o que você faz para ajudar a sua máquina?

Como sabem, por diversos fatores, Marcos e eu, tentamos seguir uma alimentação diária equilibrada e saudável, regada de uma rotina de exercícios para completar o pacote. Isto tudo para deixar o corpo em forma ou bater o recorde da corrida entre os amigos? Não e não, embora seja um bom motivo para motivá-los, fazemos isto principalmente para alcançar um bem-estar, manter o corpo forte para combater nuvens de vírus e viroses que pairam sobre o ar da cidade, e para noites de sono mais tranquilas. Funciona? Sim. Se contarmos nos dedos acho que a única vez que vi o Marcos resfriado, ou algo próximo a isso, foi quando tomou uma vacina anti-tétano e seu corpo tentou combatê-la. O resultado? Uma febrinha (nada básica) de dois dias e pronto. Para mim um resfriado que me atacou entre Natal e Ano Novo passado, durante uma semana de muitas atividades, pouco esporte e sono. Abusei e não aguentei. Antes disso, não me lembro quando foi a última vez.

Nesta nova rotina estamos ainda tentando nos adaptar aos novos sons durante a madrugada, à rotina de esportes no entorno próximo e ao equilíbrio entre trabalho e afazeres de casa. O que muda no corpo? Nenhum resfriado ainda, mas fraquezas e cansaços excessivos. Um power nap no meio da tarde resolve de vez em quando, mas o rendimento nos esportes, no trabalho e até mesmo nas vivências sociais vem caindo. Até que um dia destes, recebemos a Simone, irmã do Marcos, aqui em casa por algumas noites, enquanto fugia de uma obra em casa. Toda manhã acordava, pegava um livro da cabeceira, escolhia uma receita e batia frutas e legumes no liquidificador. Sentava-se à mesa mais tarde, quando já tínhamos terminado. Algo pessoal? Não, uma adepta à dieta do suco verde. Não foi a primeira vez que ouvimos falar do famoso astro do momento, mas foi o primeiro contato mais próximo com a bebida de cor estranha. Já há algum tempo tinha a vontade de tentar, de ver se realmente todos estes artigos diziam coisas plausíveis, mas durante toda esta rotina nova foi a última coisa que pensei em inserir. Decidi provar e pedi para ela aumentasse a dose dos alimentos. Foram poucos dias para que eu notasse algum resultado, decidi então, quando ela partiu, comprar o livro que carregava com tanto cuidado para lá e para cá: “Alimentação Desintoxicante”. Ao comprar um para mim aproveitei e dei um para minha mãe de presente, que já vinha falando, após vivências em cursos de alimentação funcional, que gostaria de tentar também. Descobrimos, após começar a ler, que não se trata apenas de um livro de receitas, mas sim de tudo aquilo que acreditamos. As tais toxinas que absorvemos no dia a dia devem ir embora. Como o Marcos me diz em dias que me sinto mais fraca: “ Tell it to go away”! (Mande embora), afinal 98% de sintomas que sentimos são da nossa cabeça.

Assim surgiu a série no Instagram chamada #sucoverdelimão. Acordo todos os dias e faço uma mistura desintoxicante para tomar em jejum, 30 minutos antes de comer o restante do meu café da manhã. No início seguindo receitas com nomes prontos como: Limpeza Total ou Tônico Matinal; agora, seguindo o meu bom senso e estudando as caraterísticas de cada alimento, faço misturas com aquilo que encontro na nossa geladeira. Não existe um modelo único. Os ingredientes do suco podem variar de acordo com seu gosto, disponibilidade ou estação dos alimentos. Mas o suco não faz milagres! Se quer tentar, recomendamos que esteja consciente do “porquê” fará; seja fortalecer, combater ou emagrecer, a cabeça, a determinação e o restante da alimentação e rotina tem uma participação essencial também. Nós, além de inserir o suco verde em nossa rotina, continuamos buscando o equilíbrio nas refeições e nos esportes, para que o pacote completo ajude o corpo nesta nova fase feliz, porém intensa.

Regular 2014 03 18 17.13.30

o livro: alimentação desintoxicante

Regular 2014 03 14 08.24.29

fotos dos sucos diários no instagram com a receita

Regular 2014 03 09 07.49.12

fotos dos sucos diários no instagram com a receita

Regular 2014 01 29 18.01.24

alimentação equilibrada de três em três horas

Regular 2014 03 01 14.33.49

alimentos orgânicos sempre que possíveis. temperos da horta

ilustrações por kaju.ink
catalisado por person.agency