etiqueta #compras

desarranjo do arranjado

estar concreto, explorar sem parar

Regular 3

comtijolo em

Decidimos morar juntos quando o Marcos me visitou durante a minha temporada no exterior. Sim, sim, já falamos sobre isso algumas vezes. Os meus planos iniciais eram passar um tempo na Europa e depois seguir para Nova Iorque para fazer um curso ligado a tipografia e design gráfico. Durante a estadia no primeiro destino, percebi que as universidades, para as quais eu tinha interesse de ir, não abririam as inscrições tão cedo. Frustrante para um estudante do exterior. Quando percebi que o tempo ficaria curto para pedir um visto de estudante para morar quatro meses nos Estados Unidos, decidi mudar a passagem e aproveitar o boom de trabalho na Suiça. A perna para Nova Iorque já estava comprada, então decidi, ao mudar a passagem, deixar um tempo suficiente para fazer compras para a nova casa. A casa não existia ainda, mas a vontade de economizar já, desde o início.

Durante as nossas sessões de Skype, Marcos e eu começamos a montar primeiramente uma lista de desejos para a casinha. Quando esta começou a tomar proporções quase que surreais fizemos outra, definindo as prioridades seguindo ordem de necessidade real e em seguida superficial, ou para nós, necessidade de pequenos bon-vivants. Já pensando nas imensas lojas de departamento, separamos a lista por ambiente: cozinha, área de serviço, banheiro, quarto e sala. O Marcos se encarregou de ler e ver reviews comparativos de qualidade e preço dos produtos, para não nos arrependermos das escolhas. Os produtos que não deixavam dúvidas, ou que não seriam encontrados em lojas físicas facilmente, foram pedidos pelo site da Amazon e encaminhados para a casa de amigos onde fiquei locada a primeira semana - thanks again Chris e Miguel pelo delivery e hospedagem super especiais. Sim, organização e eficiência desde o início para economizar ainda mais. O restante foi colocado em outra lista, com preços base de referência, que fui checando durante a minha estadia lá.

Uma vez aterrissando em Nova Iorque, em meio a caminhadas eternas para conhecer e sentir a cidade, a pesquisa de opções de produtos e preços nas lojas físicas começou. Durante a primeira semana mesclei turismo, lazer com Chris e Miguel, e Martina, e pesquisa com fotos e notas com preços para comparar e conversar com o Marcos ao final do dia. Uma vez decidido, durante a segunda semana, que fiquei em um quarto alugado no East Village através do Airbnb, mesclei coordenar o espaço nas malas com as compras. O passeio aconteceu primeiramente em lojas mais baratas como a Century 21 e o TJ Max, para depois passar pela Bed Bath and Beyond e Container Store para encontrar o restante. Pequenas lojas de decoração e multi propósito, como por exemplo a Anthropologie e a Urban Outfitters deram o toque final de charme. A organização foi necessária, pois já vinha da Europa com uma grande mala carregada da vida de meses fora de casa. Dei graças à organização herdada da minha mãe e à habilidade absorvida de inúmeros quebra-cabeças montados durante a infância. Sim, uma mala bem feita deveria ser reconhecida como uma arte! Pronto, falei!

Ao chegar de volta no Brasil desarranjei todo o arranjado para mostrar ao Marcos os achados. Após ver, vibrar e celebrar, tudo voltou para uma grande mala à espera do local perfeito para usá-las. Uma vez no nosso apê, desarranjamos tudo novamente para compartilhar com vocês os nossos achados, separados por ambiente, loja, moeda e valor nas fotos. Ao final do post um vídeo com o nosso desarranjo final (com ótima trilha sonora: DeVotchKa - Charlotte Mittnacht).

Regular 5

para esquentar e misturar

Regular 2

para cortar e cozinhar

Regular untitled 1

para beber, cozinhar e levar

Regular 9

para levar

Regular 10

para se deliciar

Regular 6

para reciclar e plantar

Regular 11

para secar, lavar e pendurar

Regular 8

para guardar e assinar

Regular 7

para aprender e decorar

comTijolo em: desfazendo as malas do exterior

o que vem primeiro?

estar concreto

Regular 2014 01 20 14.50.47

o colchão, ainda no chão

Assim que tivemos a certeza de que tínhamos encontrado o nosso novo lar, a busca por móveis começou efetivamente. Digo efetivamente, pois, como viram, já estamos coletando possíveis moveis e acessórios desde a decisão de morarmos juntos. Durante minha viagem também já adquiri algumas coisas por preços muito mais acessíveis do que neste nosso país. (Escreverei um post em breve contando mais em detalhes) Ao começar a busca por móveis maiores, logo percebemos que com os preços teríamos que fazer uma lista das prioridades (percebemos mas já sabíamos, afinal o que não está caro por aqui?). O que precisamos para começar? O “básico” para viver por agora: dormir, comer e trabalhar.

Falando de comer: O apartamento que encontramos já veio com a cozinha equipada (ponto! Grandes economias em eletrodomésticos); armários embutidos, geladeira, fogão, micro-ondas (embora não sejamos fãs do uso deste) e uma torradeira. O próximo passo foi aceitar o convite da avó do Marcos, a Norma, a dar uma olhada nas louças que ela já não usa mais. Encontramos alguns jogos de pratos e tigelas, entre outras coisas mais, que com certeza usaremos bastante. (ponto! Economias na louça) Do meu antigo escritório (de arquitetura) ainda tinha alguns copos guardados que trouxemos também. O nosso amigo Marcos (cunhado) nos presenteou com taças de vinhos neste natal. (sim amigos, já podemos quase recebê-los para um drink) Minha irmã Maja nos presenteou com canecas para o nosso chá diário. Minha mãe e pai no presentearem com talheres e muitas outras coisas para a cozinha. Aproveitamos as ofertas e arrumações de final de ano na casa da família. Afinal quem usa tudo aquilo que acumulou durante os anos?

Falando de dormir: Assim que tivemos a notícia de que o apartamento seria nosso durante os próximos 30 meses, fomos aos testes de colchão. Uma experiência que nos rendeu algumas boas risadas. Ao deitar, e olhar para o teto da loja Sleep House, encontramos um ganhador. Um colchão de molas ensacadas individualmente da marca Englander, no modelo Posture Support. Sim, gostamos de colchões mais duros. A coluna agradece! Mais tarde, naquele mesmo dia, ele se tornou o nosso presente de natal dos meus pais. (obrigada novamente!) Por enquanto só temos o colchão, mas como todos que já passaram por isso contam: normal não ter tudo no início e o gostoso é fazer as coisas com calma. Não deixamos a base da cama de lado que, idealmente serão de pallets que formarão o estrado, mas a prioridade do dormir já foi resolvida.

Falando de trabalhar: Nós dois trabalhamos em casa. O Marcos diariamente com o computador e eu migrando entre quadros, papéis, paredes e a telinha também. Logo, uma mesa para apoiar os nossos equipamentos é essencial. Durante a procura do apê este espaço era um forte requisito. Encontramos um local onde tivéssemos espaço para tudo isso, mas, neste início, optamos por encontrar apenas uma mesa que servirá para os dois propósitos. A base de comer será a mesma do trabalhar. Iniciamos a busca na Tok&Stok (sim, é possível encontrar coisas interessantes e com preços razoáveis, basta procurar). Outra opção para a busca de uma mesa foi a loja virtual da Oppa. Encontramos uma boa candidata por lá também. Durante a virada do ano, conversando e planejando, acabamos optando pela preta e moderna da primeira loja. Esta foi um presente dos pais do Marcos. Próxima pergunta: Onde sentamos? Encontramos uma cadeira de madeira, pintada de branco, na Tok&Stok, em promoção. A segunda candidata foi a cadeira “Uma” da Oppa. Estas, assim como a mesa, por enquanto servem para os dois propósitos. Tudo decidido, mas tudo também longe de estar pronto. A próxima aquisição? Um tampo para apoiar em nossos cavaletes encontrados em uma obra. Agora sim apenas para trabalhar.

Regular 2014 01 20 14.54.36

a mesa preta e a cadeira Uma

Regular 2014 01 20 14.54.24

o local de comer e trabalhar

ilustrações por kaju.ink
catalisado por person.agency