contamos um pouco quem faz o que ou quem cuida do que aqui em casa. Quando fazemos móveis para ao apartamento, o Marcos costuma cuidar do trabalho mais pesado, como cortar, cerrar e furar. Quando detalhes como tinta, lixar e aparafusar entram em jogo, eu ajudo um pouco mais. Já nos itens menores eu tenho maior participação. Buscamos fazer as coisas nós mesmos para deixar as coisas com a nossa cara, mas também para economizar. Compartilhamos as nossas experiências e conhecimentos, para que possam ser aplicados e interpretados por cada um para outros itens.

Recentemente, ao receber amigos, sentimos falta de uma bandeja maior que pudesse nos ajudar a servir bebidas, petiscos ou chá. Toda vez que entramos em alguma loja ligada a decoração de casa dou uma olhada nas opções. Além de nunca encontrar aquela que atendia as nossas expectativas, elas não custavam menos de R$ 120. Por não ser uma prioridade acabamos deixando de lado. Temos uma lista de detalhes para deixar o nosso apartamento ainda mais com a nossa cara. Vamos riscando eles aos poucos da lista, conforme temos tempo para criar soluções ou dinheiro para adquirir itens novos.

Um dia destes, ao entrar em uma loja de artes, onde costumo comprar alguns materiais de arte, passei por um corredor repleto de peças de MDF para serem customizadas. Andei, explorei e bati o olho em uma bandeja do tamanho que imaginávamos, por R$ 10,20. No caminho para o caixa ainda peguei um base para artesanato branca. Estas peças de MDF normalmente vem com um bom acabamento, mas é sempre necessário lixar e limpar bem antes de começar a pintura, para eliminar bordas mais afiadas e resíduos de pó. Quando esta etapa estiver finalizada comece com a base branca. Não precisa ser especificamente esta base para artesanato, mas uma tinta branca e que ajude no bloqueio de absorção da peça. Uma base bem feita grande menos camadas de tinta e um acabamento melhor. Neste caso passei duas camadas de base. Para pintar buscávamos uma cor específica, algo similar à nossa porta do banheiro, para que se juntasse à composição geral da casa. Não tinha mais a tinta em casa então fiz uma mistura com o que tinha no studio. Como base utilizei uma tinta super lavável turquesa, da Coral, e adicionei alguns pigmentos de tinta acrílica para chegar na cor desejada. Passei duas camadas de tinta, respeitando sempre a mesma direção de pincelada em cada lado. Quando a peça estava bem seca passei uma cera, da Ceras Mil, que tem o mesmo efeito de um verniz. A cera é incolor, para que não altere o tom da peça, e natural. Após três horas de secagem, lustrei a peça com ajuda de um pano mais poroso. Lustrar a cera ajuda no brilho e na eliminação de possíveis excessos. Uma alternativa seria utilizar um verniz de spray ou para pincelar, lembrando que sempre melhor optar pelo incolor e não tóxico, já que a bandeja será utilizada no dia a dia.

No mesmo dia, aproveitando o pincel sujo, peguei duas garrafas que estavam no lixo recicladoe apliquei também a base para artesanato. Elas se tornam decorativas e já foram para o bar, para preencher as lacunas de garrafas cheias que não cabem dentro do carrinho. Se quiser dar um toque a mais na peça, pode usar uma caneta permanente à base de água da marca Uni Posca. Com ela dá para traçar linhas ou fazer poás por exemplo.

Resumidamente é simples assim:

Uma peça de MDF (uma bandeja, uma caixa, um cubo ou uma casinha de passarinho)
Tinta Branca (base para artesanato, ou na falta dela, alguma tinta branca à base de água funciona também)
Pincéis
Cera ou verniz para finalizar

Nota:
Estas peças de MDF podem ser encontradas em diversos armarinhos e lojas de artes ou artesanato espalhados pela cidade. Neste caso visitei a Casa de Arte que fica na Avenida Portugal.