Assim que tivemos a certeza de que tínhamos encontrado o nosso novo lar, a busca por móveis começou efetivamente. Digo efetivamente, pois, como viram, já estamos coletando possíveis moveis e acessórios desde a decisão de morarmos juntos. Durante minha viagem também já adquiri algumas coisas por preços muito mais acessíveis do que neste nosso país. (Escreverei um post em breve contando mais em detalhes) Ao começar a busca por móveis maiores, logo percebemos que com os preços teríamos que fazer uma lista das prioridades (percebemos mas já sabíamos, afinal o que não está caro por aqui?). O que precisamos para começar? O “básico” para viver por agora: dormir, comer e trabalhar.

Falando de comer: O apartamento que encontramos já veio com a cozinha equipada (ponto! Grandes economias em eletrodomésticos); armários embutidos, geladeira, fogão, micro-ondas (embora não sejamos fãs do uso deste) e uma torradeira. O próximo passo foi aceitar o convite da avó do Marcos, a Norma, a dar uma olhada nas louças que ela já não usa mais. Encontramos alguns jogos de pratos e tigelas, entre outras coisas mais, que com certeza usaremos bastante. (ponto! Economias na louça) Do meu antigo escritório (de arquitetura) ainda tinha alguns copos guardados que trouxemos também. O nosso amigo Marcos (cunhado) nos presenteou com taças de vinhos neste natal. (sim amigos, já podemos quase recebê-los para um drink) Minha irmã Maja nos presenteou com canecas para o nosso chá diário. Minha mãe e pai no presentearem com talheres e muitas outras coisas para a cozinha. Aproveitamos as ofertas e arrumações de final de ano na casa da família. Afinal quem usa tudo aquilo que acumulou durante os anos?

Falando de dormir: Assim que tivemos a notícia de que o apartamento seria nosso durante os próximos 30 meses, fomos aos testes de colchão. Uma experiência que nos rendeu algumas boas risadas. Ao deitar, e olhar para o teto da loja Sleep House, encontramos um ganhador. Um colchão de molas ensacadas individualmente da marca Englander, no modelo Posture Support. Sim, gostamos de colchões mais duros. A coluna agradece! Mais tarde, naquele mesmo dia, ele se tornou o nosso presente de natal dos meus pais. (obrigada novamente!) Por enquanto só temos o colchão, mas como todos que já passaram por isso contam: normal não ter tudo no início e o gostoso é fazer as coisas com calma. Não deixamos a base da cama de lado que, idealmente serão de pallets que formarão o estrado, mas a prioridade do dormir já foi resolvida.

Falando de trabalhar: Nós dois trabalhamos em casa. O Marcos diariamente com o computador e eu migrando entre quadros, papéis, paredes e a telinha também. Logo, uma mesa para apoiar os nossos equipamentos é essencial. Durante a procura do apê este espaço era um forte requisito. Encontramos um local onde tivéssemos espaço para tudo isso, mas, neste início, optamos por encontrar apenas uma mesa que servirá para os dois propósitos. A base de comer será a mesma do trabalhar. Iniciamos a busca na Tok&Stok (sim, é possível encontrar coisas interessantes e com preços razoáveis, basta procurar). Outra opção para a busca de uma mesa foi a loja virtual da Oppa. Encontramos uma boa candidata por lá também. Durante a virada do ano, conversando e planejando, acabamos optando pela preta e moderna da primeira loja. Esta foi um presente dos pais do Marcos. Próxima pergunta: Onde sentamos? Encontramos uma cadeira de madeira, pintada de branco, na Tok&Stok, em promoção. A segunda candidata foi a cadeira “Uma” da Oppa. Estas, assim como a mesa, por enquanto servem para os dois propósitos. Tudo decidido, mas tudo também longe de estar pronto. A próxima aquisição? Um tampo para apoiar em nossos cavaletes encontrados em uma obra. Agora sim apenas para trabalhar.