Num desses pergaminhos que são passados de geração em geração - que ganhei de meu avó há muito tempo atrás - li pela primeira vez sobre o autoconhecimento:

“Conhece a ti mesmo, tal qual é.”

Todos nós criamos, por vezes inconscientemente, diretrizes de vida próprias - seja por influência de religião, pais ou experiências tapas-na-cara. Com estas enfrentamos o dia-a-dia da melhor maneira que entendemos: ser honesto; dar o melhor de si; alimentar-se se de forma saudável; fazer exercícios; trabalhar pelo menos 8 horas, cumprimentar os porteiros. Seja lá o que for, você vive o seu cotidiano apoiando-se nestes “códigos de honra” pessoais. Ótimo, mas antes disso tudo, esquecemos de olhar para dentro de nossa existência, e avaliar fisiológicamente nossas predisposições físicas e mentais, para suportar tais diretrizes.

Outro dia, nossa amiga Marcela ( dona da Paperia ), disse: “Eu acho que todas as crianças deveriam aprender, desde pequenas, a tirar um tempinho no dia para ter uma pausa, meditar, planejar os afazeres do dia e pensar sobre a vida.” Nós concordamos plenamente e a frase veio a calhar com o texto de hoje: mesmo que as tarefas de uma criança não passem de brincar de barbie ou escovar os dentes, eles aprenderiam, desde cedo, a conhecer o próprio corpo, energia e disposição para levar o dia.

Tratando de produtividade, a história se repete. Você precisa entender seus níveis de energia durante as horas de um dia, para se organizar e produzir de forma substancial. A maioria dos materias escritos neste assunto falham logo na primeira parte. Não, não existem os “7 passos para ser mais produtivo”, já que o primeiro deveria ser justamente o ponto de partida para definir os outros todos.

O relógio interno de cada indivíduo é diferente e não adianta lutar contra pra seguir passos definidos por outros. A grande maioria dos morcegos são fotosensíveis, e por isso tem hábitos noturnos. Assim como estes, tem pessoas que também o são. Kalina, por exemplo, não funciona durante a madrugada enquanto eu posso trabalhar por horas a fio na calada da noite e produzir muito. Faça testes durante uma semana ( ou mais ), trabalhe em coisas diferentes durante diferentes horas do dia, anote os resultados. Você vai perceber que, talvez você consiga ler mais livros durante o dia do que a noite, ou que consegue responder melhor os e-mails à noite. Ou que está mais criativo durante o chá da tarde. Seja lá o que for, avalie, aprenda e pratique.

A mudança pro apê foi um ótimo começo para avaliarmos nossos níveis de energia de maneira eficaz. Sair da casa dos pais permite automaticamente que você crie seus próprios hábitos e regule seus horários conforme lhe convêm, sem atrapalhar ninguém. Quer trabalhar até às cinco da madrugada, acordar ao meio-dia e comer pizza fria do dia anterior de café da manhã, sair para correr sem roupa com 5 graus de temperatura durante a noite? Você pode. Mas antes de fazê-lo, pense em seus objetivos e encontre as melhores maneiras que o seu corpo e mente podem lhe ajudar a alcançá-los.

Se você leu até aqui, é porque se interessa bastante pelo assunto e alguns exemplos não lhe fariam mal, então aí vai. Aqui no apê e, mais especificamente no meu caso, estou avaliando, desde a mudança no começo do ano, a melhor forma de produzir mais durante um dia, de forma saudável e sustentável. A minha empresa, AEROGAMI, desenvolve softwares de serviços que requerem muitas horas de conceituação, programação e administração. Ao mesmo tempo, produzo material para alguns projetos próprios ou compartilhados, como este blog com a Kalina. Além disto, tenho, como a maioria de nós, todos os compromissos mundanos que habitam nossas agendas. Pois então, o que fazer?

UM DIA QUALQUER NA MINHA AGENDA

Para mim, os dias são parecidos. Semana, meio, fim e feriados. Ter uma empresa requer atenção constante e trabalho redobrado. Ao mesmo tempo, o trabalho é uma extensão da minha diversão e vice-versa. É isso que ganhamos quando amamos o que fazemos. Além disso, se estou do avesso em qualquer dia, posso escolher tirar o dia pra ficar de pernas pro ar e, na contramão, posso escolher tirar o dia para trabalhar dobrado. Tudo é relativo. Uma coisa é certa: meu ritmo acelerado de trabalho na empresa suga muita energia e tive de adaptar meus hábitos alimentares e de exercícios para suportar tal rotina. Por isso, meu dia é moldado e dividido com base nos meus horários de alimentação. Hoje faço assim, mais ou menos, e ainda em testes:

MANHÃ

6:00 - Acordo junto com o sol, já que ainda não temos cortinas decentes e percebi que produzo bem pela manhã e que gosto de ouvir os passarinhos cantando no café da manhã. Apesar de curtir o silêncio da madrugada, percebi que minha saúde estava sendo afetada pelas noites esticadas e a da Kalina também, já que moramos num loft sem divisões ainda, e o fato de eu estar acordado atrapalhava as noites de sono dela. Agora acordo bem cedo, alongo, estico, e planejo o dia.

6:30 - Suco verde e cuidar do verde do nosso apê.

7:00 – Café da manhã reforçado com mamão, mel, aveia e pão com queijo.

7:30 - Algum trabalho relacionado à criatividade produtiva, como escrever um texto para o blog, criar o conceito de algum projeto, produzir o layout de algum software. Aproveitar este momento de serenidade mental, proveniente de uma noite bem dormida, parece ser providencial para minhas criações conceituais e subjetivas.

9:00 – Após a digestão, algum esporte, como corrida ou natação, explorar algum mato, subir em alguma árvore, para aproveitar o sol da manhã. Percebi que fazer exercício pela manhã, para mim, melhora meus níveis de energia durante o dia e diminui a probabilidade de eu pular os exercícios no fim do dia, por cansaço ou qualquer desculpa esfarrapada.

10:30 – Lanche da manhã, fruta + castanhas + carboidrato.

11:00 – Início do trabalho pesado do dia. Aquelas tarefas que precisam de mais energia física e disposição mental. Após o exercício eu tenho uma sustentação de adrenalina, que me ajuda com estas tarefas. Os dias com reuniões fora de casa são geralmente agendadas para esse horário, para evitar o trânsito. Responder e-mails importantes.

TARDE

13:00 – Cozinhar, almoçar.

14:00 – Tirar alguns minutos para digestão e preparação para o trabalho vespertino, seja pasmando olhando pela janela, ou uma leitura leve, ou um livro de referências.

14:30 – Segunda perna dos trabalhos pesados. Códigos de programação, confecção de orçamentos, pagamento de taxas, follow up de clientes, video calls, etc.

17:00 – Lanche da tarde. Carboidrato + vegetais + proteínas e às vezes alguma fruta também.

17:30 – Última perna dos trabalhos. Finalizar ferramentas de algum software, estudar algum conceito novo. Responder e-mails.

NOITE

20:00 – Cozinhar, jantar.

21:00 – Decidi recentemente não trabalhar em nada pesado após o jantar. Assim, consigo desligar e ter uma noite de sono mais tranquila. Hora de relaxar ouvindo um som, tomando um chá, alguma leitura leve, viajar na conceituação de alguma ideia nova. Aqui, faço essas coisas geralmente acompanhado da Kalina.

22:30 – Cama.

Não, eu não sou um robô e meu cotidiano não é sempre igual. Na verdade, minha linha de trabalho me proporciona dias diferentes, todos os dias, e tento adaptá-los a estes parâmetros. Deu para ter uma ideia né? Isto funciona para mim, nesta fase da minha vida. Você é diferente, tem outros objetivos, obrigações e níveis de energia. Vá em frente, experimente, conheça a si mesmo, organize seu próprio dia, produza mais e alcance suas metas.