Decidimos morar juntos quando o Marcos me visitou durante a minha temporada no exterior. Sim, sim, já falamos sobre isso algumas vezes. Os meus planos iniciais eram passar um tempo na Europa e depois seguir para Nova Iorque para fazer um curso ligado a tipografia e design gráfico. Durante a estadia no primeiro destino, percebi que as universidades, para as quais eu tinha interesse de ir, não abririam as inscrições tão cedo. Frustrante para um estudante do exterior. Quando percebi que o tempo ficaria curto para pedir um visto de estudante para morar quatro meses nos Estados Unidos, decidi mudar a passagem e aproveitar o boom de trabalho na Suiça. A perna para Nova Iorque já estava comprada, então decidi, ao mudar a passagem, deixar um tempo suficiente para fazer compras para a nova casa. A casa não existia ainda, mas a vontade de economizar já, desde o início.

Durante as nossas sessões de Skype, Marcos e eu começamos a montar primeiramente uma lista de desejos para a casinha. Quando esta começou a tomar proporções quase que surreais fizemos outra, definindo as prioridades seguindo ordem de necessidade real e em seguida superficial, ou para nós, necessidade de pequenos bon-vivants. Já pensando nas imensas lojas de departamento, separamos a lista por ambiente: cozinha, área de serviço, banheiro, quarto e sala. O Marcos se encarregou de ler e ver reviews comparativos de qualidade e preço dos produtos, para não nos arrependermos das escolhas. Os produtos que não deixavam dúvidas, ou que não seriam encontrados em lojas físicas facilmente, foram pedidos pelo site da Amazon e encaminhados para a casa de amigos onde fiquei locada a primeira semana - thanks again Chris e Miguel pelo delivery e hospedagem super especiais. Sim, organização e eficiência desde o início para economizar ainda mais. O restante foi colocado em outra lista, com preços base de referência, que fui checando durante a minha estadia lá.

Uma vez aterrissando em Nova Iorque, em meio a caminhadas eternas para conhecer e sentir a cidade, a pesquisa de opções de produtos e preços nas lojas físicas começou. Durante a primeira semana mesclei turismo, lazer com Chris e Miguel, e Martina, e pesquisa com fotos e notas com preços para comparar e conversar com o Marcos ao final do dia. Uma vez decidido, durante a segunda semana, que fiquei em um quarto alugado no East Village através do Airbnb, mesclei coordenar o espaço nas malas com as compras. O passeio aconteceu primeiramente em lojas mais baratas como a Century 21 e o TJ Max, para depois passar pela Bed Bath and Beyond e Container Store para encontrar o restante. Pequenas lojas de decoração e multi propósito, como por exemplo a Anthropologie e a Urban Outfitters deram o toque final de charme. A organização foi necessária, pois já vinha da Europa com uma grande mala carregada da vida de meses fora de casa. Dei graças à organização herdada da minha mãe e à habilidade absorvida de inúmeros quebra-cabeças montados durante a infância. Sim, uma mala bem feita deveria ser reconhecida como uma arte! Pronto, falei!

Ao chegar de volta no Brasil desarranjei todo o arranjado para mostrar ao Marcos os achados. Após ver, vibrar e celebrar, tudo voltou para uma grande mala à espera do local perfeito para usá-las. Uma vez no nosso apê, desarranjamos tudo novamente para compartilhar com vocês os nossos achados, separados por ambiente, loja, moeda e valor nas fotos. Ao final do post um vídeo com o nosso desarranjo final (com ótima trilha sonora: DeVotchKa - Charlotte Mittnacht).